Notícias

Estudo apresenta melhores práticas de gestão e inovação na Era Digital

 

No dia 06 de junho, os estúdios da RedeTV!, em Osasco (SP), se transformaram no palco de um grande evento dedicado à inovação. Centenas de executivos dos mais diversos setores se reuniram para discutir os caminhos para a transformação digital nas empresas e seu impacto nos negócios, incluindo o CEO global da VMware, Pat Gelsinger, um dos executivos mais influentes da indústria de TI no mundo.

O evento, promovido pela VMware com apoio de AWS e Intel, contou com a CIX Initiative, três painéis focados nos temas Cibersegurança; Inovação e Agilidade; e Experiência do Usuário (CIX, na abreviação em inglês), além da participação dos executivos presentes e do público online, que acompanhou a transmissão ao vivo via streaming.

As ideias debatidas e a pesquisa realizada em tempo real durante a CIX Initiative resultaram no estudo CIX Legacy, que traz exemplos de transformação digital e consolida as melhores práticas do mercado, com o objetivo de ajudar as empresas nessa jornada de inovação tecnológica. Confira abaixo os principais pontos do documento:

Cibersegurança

Os dados resultantes do painel que teve a participação de Cristiano Carvalho, gerente de TI do Tribunal de Justiça do Ceará, Jorge Krug, diretor de TI do Banrisul, e Nilson Lopes, superintendente de TI do Carrefour, deixam claro que a segurança da informação é prioridade na agenda da transformação digital, e as empresas se preocupam com a conciliação entre inovação e cibersegurança. Questões como digitalização de processos, trabalho remoto e pressão por velocidade e inovação são pontos de atenção que não podem resultar em fragilização da segurança. O treinamento de colaboradores e políticas de segurança claras, bem como a adequação à nova Lei Geral de Proteção aos Dados (LGPD), se mostraram práticas comuns nos casos de sucesso debatidos durante o painel sobre Cibersegurança. Apesar disso, a pesquisa realizada mostrou que apenas 9% da audiência presencial já está totalmente em conformidade com a LGPD. O índice sobe para 37% entre os que acompanharam via streaming, mas mesmo nesse caso, 50% disseram ainda não ter iniciado os trabalhos de adequação. Mesmo assim, a maioria dos executivos (75% do público presente e 77% do público online) afirmou que tanto as ameaças internas como as externas são igualmente preocupantes para as empresas. “Temos nos deparado com clientes querendo criar fundações digitais, protegendo dispositivos e aplicações em multicloud”, afirmou Kleber Oliveira, diretor de Alianças e Canais da VMware Brasil. “Essas fundações precisam suportar iniciativas ágeis e a integração entre áreas de desenvolvimento, segurança e infraestrutura, contemplando ameaças internas e externas. O objetivo é proteger a marca e a credibilidade das empresas”, completou.

Inovação e Agilidade

Allan Costa, diretor-presidente da Celepar, Osvaldo Carrijo, vice-presidente de negócios da Algar Telecom, e Maurício Ruiz, diretor-geral da Intel Brasil participaram do segundo painel do evento. Um dos principais pontos apresentados pela pesquisa realizada durante este painel é que a inovação, ao contrário do que às vezes se acredita, extrapola a questão tecnológica e está diretamente ligada à cultura da organização. Por isso mesmo, as melhores práticas não requerem, necessariamente, grandes investimentos e projetos complexos. O principal desafio das empresas é, portanto, a mudança da mentalidade corporativa, que deve ser abraçada pelos líderes para que seja efetiva. Nas empresas já estabelecidas, a inércia da inovação faz com que o processo seja mais longo e, muitas vezes, exija mais de uma tentativa. O CIX Legacy mostrou que para cerca de 25% das empresas, as áreas de inovação independentes, porém conectadas ao negócio, são o arranjo mais comum (25% do público presente e 23,5% da audiência do streaming). Já em 20% das empresas (resposta semelhante em ambos os públicos) não há áreas de inovação dedicadas (as ações de inovação estão sob responsabilidade da TI ou do negócio). “É importante termos uma visão comum: inovação não se trata de criar iniciativas para uma ou outra área especificamente; em vez disso, todos temos que estar engajados”, analisou Rodrigo Mielke, diretor de Engenharia da VMware Brasil.

Experiência do Usuário

O Hospital do Coração (HCor) e a Paschoalotto Serviços Financeiros são dois casos de sucesso apresentados no documento CIX Legacy que exemplificam como a tecnologia pode proporcionar experiências positivas em momentos críticos. Nos dois exemplos, apresentados respectivamente por Carlos Figueiredo, superintendente de Estratégia de Marketing e Tecnologia da Informação do HCor, e Vanessa Retek, diretora de Inovação da Paschoalotto, fica claro que, para ter sucesso, a inovação precisa estar ligada ao propósito da organização, e o cliente deve ser o foco estratégico. Confirmando essa questão, as melhores práticas mostram que resolver problemas deve ser o ponto de partida da inovação, o que significa pensar em formas de facilitar a vida do cliente. Além disso, é preciso planejar o retorno sobre o investimento em inovação, estabelecendo margens de erro nas previsões para mitigar os riscos. Questionados sobre como os erros nos projetos de inovação e experiência do usuário são encarados em sua empresa, o estudo CIX Legacy mostrou uma grande discrepância entre os executivos presentes e a audiência streaming: no primeiro grupo, apenas 18% disseram que há baixa tolerância a erros para projetos desse tipo, enquanto 50% no segundo grupo afirmaram o mesmo. “Todas as empresas aqui representadas estão pensando em como atrair pessoas, como se relacionar com elas e por que fazer isso. Tecnologia serve para viabilizar o bem,” reforçou Edna Massuda, diretora de End User Computing da VMware para a América Latina.

Leia o estudo completo aqui.

 

Pat Gelsinger, CEO global da VMWare, anuncia serviço de nuvem híbrida no Brasil

 

A VMware anunciou nesta quinta-feira, dia 06 de junho, a solução VMware Cloud on AWS no Brasil. A novidade é fruto da parceria entre as empresas VMware, líder em nuvem privada, e AWS, líder em nuvem pública, e torna disponível o data center definido por software (SDDC) da AWS.

Resultado da demanda do mercado, a disponibilidade no País da solução, que permite a migração e o gerenciamento de dados e aplicações na nuvem pública, privada e híbrida, garante mais agilidade e flexibilidade aos clientes. É a combinação da segurança da nuvem privada com a capacidade de escala da nuvem pública.

Segundo José Duarte, presidente da VMware no Brasil, esta aliança possibilita que as corporações utilizem a elasticidade da nuvem pública, sem perder a segurança e agilidade da cloud privada. Isso garante que os clientes consigam desenvolver e integrar facilmente inovações às suas plataformas, bem como atender às flutuações de demanda do mercado, com rapidez e sem a necessidade de grandes investimentos em hardware. E tudo isso de forma simples. “A tecnologia é fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade melhor. E a sua evolução é complexa, o que pode levar a ambientes complexos que dificultam a transformação digital das empresas. Nosso papel é simplificar essa jornada”, afirmou.

O anúncio aconteceu durante o VMware Executive Summit, que reuniu centenas de executivos de TI nos estúdios da RedeTV, em Osasco (SP), para discutir os caminhos da transformação digital nas empresas e seu impacto nos negócios.

 

Painel sobre Cibersegurança apontou os desafios da evolução digital para a segurança dos dados nas corporações

Tecnologia para o futuro

Pat Gelsinger, CEO global da VMware e um dos mais influentes nomes da tecnologia no mundo, destacou, na abertura do encontro, que a tecnologia está mudando não apenas todos os aspectos dos negócios mas também todos os aspectos da vida, e que, portanto, a tecnologia precisa ser moldada para construir uma sociedade melhor.

Nos três painéis que seguiram a apresentação de Gelsinger, executivos de empresas públicas e privadas subiram ao palco para falar sobre Cibersegurança; Inovação e Agilidade; e Experiência do Usuário. Entre os principais desafios, estão o uso de dispositivos pessoais, trabalho remoto e a ampliação do alcance da tecnologia, que potencializam as ameaças digitais; e a complexidade do ambiente de segurança, que exige às empresas atuarem com centenas de fornecedores e aplicações. Além disso, é necessário que a inovação aconteça, cada vez mais, em todas as áreas da empresa. Quem hoje consegue olhar a inovação além da tecnologia, como uma nova mentalidade e cultura organizacional, está conseguindo realmente transformar os negócios, oferecer serviços mais ágeis e fazer diferença para seus clientes. Para completar, os executivos discutiram a importância do foco no usuário para o sucesso dos negócios e apontaram que a revisão e o entendimento do propósito da companhia é a base para a criação de serviços e produtos que realmente impactam o cliente e beneficiam a sociedade.

O evento, realizado em um formato inovador, com um programa de televisão e transmitido via streaming, contou também com a participação do público, que respondeu questões sobre políticas de segurança, maturidade digital e modelo de inovação, entre dezenas de outros temas. O conteúdo cocriado durante o encontro será apresentado em um carta de entendimento com as melhores práticas.

 

Source: http://patrocinados.estadao.com.br/vmware/

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *